Dos 124Kg até a uma meia-maratona.

Se há 2 anos me perguntassem se ambicionava entrar numa meia-maratona eu respondia rapidamente… Não!

Como já devem ter percebido pelo título e publicações anteriores, eu nem sempre tive um estilo de vida saudável. Desde a alimentação ao exercício físico, tudo era esquecido e posto de parte.

De uma forma rápida e resumida foi este o resultado: apneia do sono e 124,5kg de problemas!

Confuso? Vou começar a história do início.

Nunca fui um rapaz magrinho e de corpo esbelto. Desde muito novo tinha tendência para ser mais rechonchudo, sempre de forma controlada e sem obesidade. Tive altos e baixos no cuidado com o meu corpo e alimentação, isto deveu-se muito à falta de informação e principalmente ao desleixo que tive durante anos e anos… quando se é jovem pensámos que nada nos vai acontecer, por isso, tudo era possível.

Por volta dos 25 anos, numa altura em que estava fora da região e vivia com amigos, tudo mudou e cheguei aos 75kg.

Uma mudança e novo aumento de peso!

Passado alguns anos aumentei o peso novamente. A constante mudança, as inúmeras viagens profissionais e uma vida sedentária levaram-me para uma fase mais “negra”.  Horários trocados e dias com o pequeno-almoço deixado de parte e jantares fora de horas, ditaram um aumento de peso, em 4 anos, que chegou até aos 124,5 kg.

Sim… 124,5Kg

Olhando para trás é difícil perceber que cheguei a tal peso. Numa reflexão mais concreta vejo que muita coisa estava mal nas rotinas diárias. Só para perceberem, não havia pequenos-almoços durante os dias de semana, muito menos lanches entre refeições. Os almoços eram sempre fora de horas e os jantares costumavam ser de prato cheio!

Fazia tudo ao contrário e não tinha nenhum tipo de actividade física! Vendo bem, não fazia as coisas muito certas e pensava que estava tudo OK…

Passaram-se anos e tudo continuava na mesma. Era o cansaço, tudo o que era físico era difícil e complicado, até que um dia surgiu o ponto de viragem: Apneia do Sono.

A máquina terrível

Depois de ser diagnosticado com uma obstrução que causava a apneia do sono, tudo foi um alvoroço que levou à uma mudança muito grande. Quando a médica que me seguiu disse que numa noite de 8 horas de sono só dormia 3h na realidade, deu o clique e fez todo o sentido. Percebi que o meu corpo vivia em constante esforço e que todo o cansaço que sentia durante o dia era por causa da apneia.

Usar uma máquina para dormir não é tarefa fácil! Modifica a forma e os hábitos na hora de ir para a cama. Sentir a máscara durante todo o sono é tão incómodo fisicamente como psicologicamente. Pensar que qualquer coisa podia acontecer impunha respeito e criava uma motivação muito grande para mudar o que estava mal.

Nem tudo era negativo!

Este processo de dormir com o auto-cpap (nome técnico da máquina) trazia coisas positivas, o sono era real, o cansaço era menor e a boa disposição estava mais presente. Foi a partir daqui que tudo mudou e marcou o início desta perda.

Um ano depois, em Dezembro de 2014, pesava 80kg e não usava mais máquinas!

Prometo que em breve conto como foi a caminhada e de que forma baixei o peso. 🙂

Escrito por Runner Anónimo
O Runner Anónimo é um blog sobre corridas e histórias pessoais de um desportista amador que vive na ilha da Madeira.