MIUT – Muito mais do que uma grande prova

Eu nem sei por onde devo começar…

O ano passado fui um mero espectador desta fantástica prova e disse que o MIUT era o paraíso do trail. Este ano, confirmo e afirmo que esta prova é única! 

Tenho muita coisa para falar sobre esta experiência que durou 21h30m48s, durante 85 quilómetros de experiências, companheirismo, partilhas, trilhos, amor e muita diversão! Para conseguir escrever tudo o que vai na alma, vou publicar vários textos sobre esta aventura!

MIUT – Muito mais do que uma grande prova!

Neste terceiro ano da prova no calendário mundial, o cartaz prometia muita festa, qualidade e uma prova de outro mundo! E assim foi…

Muitas pessoas pensam que ideia principal é atingir o objectivo e cortar a meta na baía de Machico, gravando na memória e nas máquinas fotográficas o momento de glória! Não digo que seja mentira, mas quem já fez o MIUT sabe muito bem que esta prova é muito mais do que atingir um momento de glória! É uma experiência única, onde o contacto com a natureza, a competição e o companheirismo se unem em harmonia. 

A  prova começa com o desafio de desbravar caminhos que muitos dos locais nunca desbravaram! São subida e descidas que aceleram um coração carregado de sentimentos e momentos que vão ficando guardados na caixa forte das memórias. Durante todos os quilómetros, que depois de muitos são quase esquecidos, a força humana é emanada pelos trilhos como uma energia especial, que contagia todos aqueles que acompanham a prova do lado de fora, com sinos, apitos, palmas e bandeiras para incentivar os seus, neste desafio épico!

Tal como um sinal de rádio, este efeito replica-se durante toda a prova!

Esta energia quase inesgotável acompanhou todos aqueles que se lançaram com “unhas e dentes” para este desafio. Mesmo e quando era complicado atingir o Olimpo, havia sempre alguém com mais força para dar. Essa grande força, de nome companheirismo, esteve sempre presente durante toda a prova. Estavam todos atentos se os companheiros mais próximos precisavam de ajuda, água, gel ou uma simples palavra de incentivo.

Acreditem, isto vale mais do que uma medalha ou um kit de finisher

Foram muitas horas de muita diversão, novas amizades e de contacto privilegiado com a natureza, numa prova que muitos dos forasteiros (que já tinham passado pela TransGranCanaria, Lavaredo, etc..) com quem falei apelidavam como “a melhor e a mais bonita prova de sempre”!

Prometo que nos próximos dias escrevo mais sobre a minha experiência…

 

 

 

Escrito por Runner Anónimo
O Runner Anónimo é um blog sobre corridas e histórias pessoais de um desportista amador que vive na ilha da Madeira.