Os ‘Terroristas’ dos Trilhos

Para quem acompanha as notícias sobre o trail nacional e internacional, com certeza tem ouvido relatos estranhos de várias ‘células terroristas’ que têm atacado este desporto que tanto gostamos.

Estes ‘atletas terrorista’ têm aparecido nas provas como se fossem os reis dos trilhos, aterrorizando as organizações e participantes, através das suas batotas elaboradas, trafulhices sofisticadas e sujidade sem fim. Para eles, vale tudo! De carro ou por trilhos alternativos, tudo é possível para fazerem das suas, armados em ‘finishers da treta’.

Esta espécie única de terroristas tem vindo a crescer, sem percebermos bem as razões que levam a estes “chicos espertos” aldrabarem tudo e todos, em troca de uma boa classificação para depois encherem os seus egos e gabarem-se com os amigos do escritório e as miúdas do ginásio. 

Pobres infelizes…

Os Terroristas da Fitas

De vez em quando aparecem em grupos organizados ou em modo solitário. A sua apetência por pedaços de plástico é grande, tudo em prol da aldrabice e com um único objectivo: ludibriar os seus humildes adversários, levando-os para caminhos desconhecidos. Esta vontade desmedida de levar os outros participantes para trilhos incertos é uma atitude perigosa, que pode colocar em risco todos aqueles que perdem a orientação durante as provas.

Os Terroristas de Quatro Rodas

Não pensem que estes levam sapatilhas com borracha de pneu Continental. Esta praga dos “Atletas das Boleias” está aumentar, principalmente nas provas de grande distância. Em 2017, ouvimos relatos de diversas provas onde os “4×4” do mundo dos trapaceiros entraram em acção com as suas maravilhosas boleias e desvios rumo à meta. Estes tretas são grandes especialistas nas Ultras das mentiras!

Os Terroristas Porcos a.k.a. Os Porcos do Trail

Estes terroristas, sobejamente conhecidos  e intitulados como os “Porcos do Trail”, são os que existem em maior quantidade. Quando vão para a natureza pensam que estão em “casa” e deitam os seus pacotes, papéis e invólucros no chão, como se nada fosse. Sem nenhum tipo de consideração pelo que custa manter a nossa natureza limpa, os “Porcos do Trail” não merecem estar em contacto directo com os trilhos.

O que devemos fazer quando encontramos terroristas deste calibre?

Agora, num tom menos sarcástico.

Todos nós devemos reportar este tipo de situações que acontecem em inúmeras provas. Por vezes, não é fácil identificar os responsáveis de actos antidesportivos, mas em muitos casos, e sempre que seja possível, devemos ver o dorsal dos infractores e comunicar para os telefones da organização que se encontram no vosso dorsal. 

Em casos de desaparecimento de fitas, as soluções são mais complicadas. Quando sentem que estão há muito tempo fora do trilho correcto e que não encontram nenhum tipo de sinalização, devem voltar atrás até ao último ponto que encontraram uma fita. Logo de seguida informem a organização, através dos voluntários, nos postos de abastecimento ou pelo número de telefone da organização e exponham a situação. Em caso mais extremos, se sentem que estão perdidos e não conseguem encontrar o trilho certo, liguem logo para o número de emergência da organização.

Para resolver o problema do lixo deixado nos trilhos a solução parte de cada um de nós. Em quase todas as provas eu já recolhi saquetas de gel vazias, invólucros de barras energéticas e até tampinhas e garrafas de plástico. 

Eu sei que por vezes existem situações que o lixo pode cair das mochilas, embora que não é uma desculpa para este grande problema. Os atletas que deitam o lixo no chão sem pensar duas vezes, deviam ser desclassificados das corridas, depois de ser provado que esse mesmo deixou lixo no trilho.

Muita discussões foram feitas nos fóruns e grupos dedicados ao Trail . Alguns defendem que as organizações devem colocar regras mais apertadas, uma delas é a colocação do número do dorsal em todos os géis, barras, etc… sei que não é fácil para as organizações, mas devemos encontrar um meio termo para estas situações acabarem de uma vez por todas.

E vocês, conhecem outro tipo de terroristas dos trilhos?



Escrito por Runner Anónimo

O Runner Anónimo é um blog sobre corridas e histórias pessoais de um desportista amador que vive na ilha da Madeira.